domingo, 17 de outubro de 2010

Cultura

Comum ver em África (Angola, Nigéria, Costa do Marfim etc) mulheres carregando todo tipo de mercadoria na cabeça. E como se não bastasse tamanho equilíbrio, ainda trazem o filho nas costas, amarrado com o suporte de um tecido colorido. São caixas e tabuleiros com produtos a serem comercializados, como garrafas de água e sucos, raízes e frutas como inhames, banana (que aqui tem a casca verde, o que difere da plantain - a nossa banana da terra)  e o que mais for preciso. Hábito tão comum incorporado, inclusive, nas placas de sinalização, nas quais, frequentemente, pudemos ver a imagem de uma mulher com um tabuleiro na cabeça acompanhado por um sinal de proibição, certamente para evitar confusão causada pelo vaivém de carros, pedestres ... e, é claro, as mulheres com seus tabuleiros. Manicures carregam todos os materiais de trabalho (esmalte, tesoura, algodão) na cabeça, facilitando para que o serviço seja realizado em em qualquer luga - na rua, nos pontos de ônibus ou nas residências das clientes. Na foto, nosso cinegrafista Mateus Damasceno e o jornalista André Santana conseguiram o consentimento de uma moradora de Lagos para fazer o registro, o que não é nem um pouco comum por aqui. 

2 comentários:

Ariadne disse...

E pensar que eu reclamo da minha rotina de escritório-casa...essas mulheres provavelmente criam 4 ou 5 filhos (senão mais), e ainda têm que arranjar disposição para trabalhar, cuidar da casa e do marido.
Realmente, muita mulher aqui no Brasil reclama de barriga cheia...

veu disse...

parabéns pelo maravilhoso trabalho