quarta-feira, 6 de outubro de 2010

África: aí vamos nós!

Por Paulo Rogério
Estamos de malas prontas para a grande viagem rumo ao continente africano. Serão aproximadamente cinco semanas de muita emoção e aprendizado. A equipe conta com um guia especial, o professor Carlos Moore, eminente conhecedor da África,  que para nossa felicidade escolheu a Bahia como residência, estado originário desta expedição.

Lagos: segunda cidade mais populosa da África. Tem crescido de forma explosiva ao longo dos anos. Em 1950, eram cerca de 300 mil habitantes. Segundo a ONU, em 2010, a cidade deve atingir 18 milhões de habitantes, tornando-se uma das dez maiores cidades do mundo.

Nesta quinta-feira, 7 de outubro, uma parte de equipe já segue para Lagos, na Nigéria, via Johanesburgo, com o objetivo de chegarmos a tempo de cobrir o Felabration - festival anual em homenagem a Fela Kuti. Por lá, vamos documentar uma conversa pública de Carlos Moore com Lindsay Barrett, grande escritor jamaicano que mora desde a década de 1970 na Nigéria. Além disso, vamos fazer contato com Wole Soyinka, o primeiro africano a ganhar o prêmio Nobel de literatura - infelizmente ainda não foi traduzido para o português. 

Partimos de Salvador (BA), considerada a segunda maior cidade negra do mundo. São cerca de 14 horas de voo até a  maior cidade negra do planeta, Lagos, na Nigéria. Depois passaremos por Abeokuta e Abuja, ainda na Nigéria, Acra e Cape Coast, em Gana, além de Johanesburgo, na África do Sul.

Estaremos em solo africano até o dia 20 de novembro. Salve este blog nos Favoritos e não deixe de acompanhar nossa trilha pelo berço da humanidade. 

Até mais! Nos vemos na estrada.

3 comentários:

Márcia Guena disse...

Que trabalho maravilhoso! Estou muito feliz de conhecer parte dessa equipe e saber que compartilho desses mesmos sonhos.

Acompanharei diariamente a viagem de vocês. Na verdade, me sinto viajando também.

Um abraço grande em todos.
Márcia Guena

ilka danusa disse...

AS FOTOS ESTÃO MARAVILHOSAS E ADOREI A CAMISA DO BAHIA DE ANDRÉ (RS).

ESTOU ANSIOSA PARA VER A CONCLUSÃO DESTE TRABALHO. BOA SORTE E SUCESSO PARA A EQUIPE!

Anônimo disse...

Paulo, desejo todo sucesso pra você e a equipe e pro Carlos. Só uma coisa: Soyinka já foi tradudido para o português sim, porém não no Brasil, mas em Portugal. Veja o livro Os intérpretes, The interpreters.
Um super abraçoooo
Alyxandra